Reduzir Riscos

PPE (Profilaxia Pós-Exposição)

Índice

A Profilaxia Pós-Exposição (PPE) é um tratamento antirretroviral que pode aplicar-se em caso de emergência após a exposição a situações de risco (tais como quando há relações sexuais sem proteção ou se houver um rebentamento do preservativo).

É importante relembrar que esta profilaxia, tal como a PrEP, não deve substituir comportamentos preventivos e deve ser utilizada como recurso de emergência.

Profilaxia Pós-Exposição

A Profilaxia Pós-Exposição (PPE) é um tratamento com medicamentos antirretrovirais que deve ser iniciado imediatamente após uma exposição ao HIV, seja quando há relações vaginais ou anais desprotegidas ou quando o preservativo rebenta ou sai. 

Esta medicação de emergência pode evitar que o VIH, ao entrar no organismo, se multiplique e se instale, causando infeção.

 

Índice

Como funciona a PPE?

A PPE faz parte da estratégia de combate à infeção por VIH da Coordenação Nacional para a Infeção VIH/Sida. Esta profilaxia pode ser administrada quando existe uma possibilidade de infeção com VIH em âmbito ocupacional, tal como nos seguintes casos:

  • Profissionais da área da saúde que sofrem ferimentos de picada de agulha ou outros objetos corto-perfurantes potencialmente infetados com fluidos infetantes (como sangue, sémen, secreções vaginais e/ou outros líquidos como o cefalorraquidiano);
  • Mordedura que cause sangramento, por parte de doentes infetados com VIH, em que existe sangue visível na boca;
  • Projeção de sangue numa superfície mucosa como olhos, boca e nariz;
  • Contacto de pele gretada com ferida aberta ou abrasão, com sangue infetado.

A PPE pode também ser administrada no contexto não ocupacional, isto é, em qualquer incidente esporádico e acidental em que há contacto com sangue, sémen ou secreções vaginais, incluindo-se:

  • Práticas sexuais desprotegidas ou em que o preservativo rebentou acidentalmente;
  • Situações em que há partilha de material usado no consumo de drogas endovenosas ou material perfurante, como agulhas, em procedimentos estéticos ou tratamentos hormonais;
  • Picadas acidentais com agulhas e mordeduras.

Onde podes ter acesso à PPE?

Para ter acesso a esta medicação deves dirigir-te a um Serviço de Urgência de um hospital central próximo de ti, no qual serás encaminhadX para umX médicX infecciologista que avaliará a situação e que te poderá indicar a toma desta medicação. Para isso, deves fazer um relato com o máximo de informação possível sobre o que aconteceu.

Se tens dúvidas sobre como aceder ao SNS, consulta esta nossa página.

Para a PPE ser eficaz, deves ter alguns cuidados:

  1. Ir a um hospital com o máximo de urgência. Esta medicação deve ser iniciada o quanto antes e até 48 horas após a situação de risco;
  2. Seguir a indicação médica e respeitar a toma do medicamento até ao fim. Normalmente, este medicamento é tomado durante um mês;
  3. Respeitar as datas dos exames complementares. X médicX vai prescrever análises no final da toma da medicação para comprovar que não foste infetadX pelo VIH e verificar se o fígado e os rins estão a funcionar corretamente.

Riscos e efeitos secundários da PPE

Tal como muitos medicamentos, a PPE pode ter efeitos paralelos ligeiros e passageiros, principalmente na fase inicial do tratamento, podendo estes ser:

  • Diarreia e dores de estômago;
  • Dores de cabeça;
  • Náuseas e vómitos;
  • Cansaço.

Em alguns casos, estes efeitos prologam-se até ao final do tratamento e podem vir a ser mais severos. Nestas situações, X médicX deve ser informado, porque pode receitar medicamentos que atenuem alguns dos sintomas.

É importante respeitar a toma do medicamento até ao fim e a horas certas, para que não se desenvolvam resistências à medicação e se reduza a eficácia do tratamento.