Infeções Sexualmente Transmissíveis

Sífilis

Índice

A sífilis é uma infeção transmitida pela via sexual ou durante a gravidez (da mãe para X filhX).

Esta infeção é considerada crónica e ataca praticamente todos os órgãos.

No entanto, e apesar da sua perigosidade, a sífilis tem cura, se for diagnosticada a tempo e se o tratamento for feito com os antibióticos indicados.

O que é a sífilis?

A sífilis é uma infeção causada pela bactéria Treponema pallidum, que tem a forma de uma espiral e possui um flagelo que lhe permite mover-se por rotação, infetando os tecidos.

Estas características permitem que consiga entrar facilmente no organismo através de zonas da pele que não estejam intactas ou por zonas mucosas que são naturalmente porosas. Posteriormente, a bactéria pode migrar para o sangue e para outros órgãos. 

A infeção por sífilis pode manifestar-se através de diversos sintomas e apresentar diferentes fases (sífilis primária, secundária, latente ou terciária).

Tal como sucede em muitas infeções sexualmente transmissíveis (IST), é possível estar-se infetado sem se perceber.

Muitas vezes, o sinal de infeção inicial passa despercebido e podem existir períodos sem sintomas.

Por esta razão, a realização do respetivo teste e o diagnóstico precoce são importantes, não só para evitar a transmissão a outras pessoas, mas também para prevenir a eventual realização de tratamentos mais agressivos (que se tornam indispensáveis em fases mais avançadas da doença).

Se tiveres relações com várias pessoas e/ou desprotegidas, é aconselhável realizar o teste a IST, incluindo à sífilis.

Índice

Quais os sintomas da sífilis?

Para saber se estás infetadX pela sífilis, deves fazer o teste de rastreio.

A sífilis é uma doença que deixa uma marca imunológica, isto é, uma vez infetadX e mesmo que tenhas feito o tratamento, os testes rápidos surgem sempre como positivos. Por isso, não é uma infeção com um diagnóstico de resposta imediata, devendo ser feita uma correta interpretação do mesmo pelX médicX infeciologista.

O ideal é fazer a confirmação do teste rápido positivo através de análises laboratoriais para perceber se estás mesmo infetadX ou se corresponde a uma infeção passada. 

Os sintomas da sífilis são diversos e dependem da fase em que se encontra a doença, podendo ir desde os mais simples – como prurido ou coceira -, a doenças mais graves como a meningite.

A gravidade da infeção faz com que esta possa atacar um ou mais órgãos, sendo que em pessoas que possuam HIV ou outras infeções do género, a evolução da doença torna-se mais rápida do que em pessoas que beneficiam de um sistema imunitário saudável. 

A sífilis pode ocorrer em três estágios com sintomas característicos e diferentes níveis de gravidade. Muitas vezes, estas fases são alternadas por períodos assintomáticos e de saúde aparente.

Sífilis primária

Quando a entrada da bactéria no organismo acontece pela via sexual, esta cria uma lesão primária na zona de inoculação, sendo que esta ferida aparece como uma úlcera que não causa dor e que pode, assim, passar despercebida. 

Após o período de incubação, cerca de 3 a 4 semanas (podendo, contudo, ir de uma a 12 semanas) surge a sífilis primária

A zona original de infeção, isto é, o local por onde a bactéria entra e se multiplica, evolui então para um caroço firme, redondo e indolor. Pode ocorrer aumento não doloroso dos gânglios linfáticos perto da ferida, mas usualmente esta fase passa despercebida na maioria dos casos.

Este cancro indolor pode surgir em qualquer local, mas é mais frequente nas seguintes zonas:

  • Em homens: pénis, ânus e reto;
  • Em mulheres: vulva, cérvix, reto e períneo;
  • Lábios ou orofaringe, em ambos os sexos.

Normalmente, este caroço cicatriza e desaparece espontaneamente num período de 3 a 12 semanas, sendo que a pessoa fica então assintomática. No entanto, podes passar a doença a outras pessoas caso tenhas relações desprotegidas.

Nesta fase, a pessoa doente deve ser testada, diagnosticada e tratada para evitar a evolução da doença.

Sem tratamento, e apesar do desaparecimento do caroço, a doença evolui, porque as bactérias que se desenvolvem no local de inoculação migram para o sangue.

Sífilis secundária

A sífilis secundária aparece algumas semanas ou meses após a infeção.

Nesta fase, os sintomas incluem irritações na pele, que podem causar prurido, principalmente na palma das mãos e pés, manifestando-se fisicamente através de pontos ásperos e vermelhos acastanhados. Para além destes, surgem lesões nas membranas mucosas como boca, vagina e ânus.

Os gânglios linfáticos ficam inchados e pode surgir febre e mal-estar geral.

Porém, estes sintomas até podem ser leves e passar despercebidos.

Sífilis terciária 

A sífilis terciária ou latente surge 10 a 30 anos após a infeção.

Se não houver tratamento, a bactéria da sífilis mantém-se no organismo, mas sem sinais/sintomas aparentes.

Nem todas as pessoas desenvolvem sífilis terciária, mas, no entanto, quando aparece, esta fase está associada a sintomas severos e que podem ser fatais, sendo afetados órgãos vitais como o coração, o cérebro ou o fígado.

Os sintomas mais comuns incluem: dor de cabeça forte, problemas motores, demência e paralisia.

Como podes ser infetadX?

A sífilis transmite-se e entra no organismo quando há:

  • Contacto direto com uma ferida sifilítica;
  • Sexo desprotegido (vaginal, oral ou anal);
  • Durante a gravidez ou parto (de mãe para filhX).

Como evitar?

Tal como a maioria das infeções, podes prevenir a infeção por sífilis utilizando, de forma consistente e em todas as práticas, o preservativo. Lembra-te que, ao contrário do VIH, a sífilis é muito infeciosa, mesmo no sexo oral.

Como tratar a sífilis?

A sífilis deve ser tratada com antibióticos.

Porém, apesar de ter tratamento, quando os danos são extensos, não é possível reverter os efeitos – por essa razão, o diagnóstico precoce e o tratamento imediato são essenciais.